segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Quando Deus visita a terra...

"Quanto a seus filhos, eles são herança do Senhor." (Salmo 127:3)



Respeito, mas jamais compreenderei pessoas que podendo ter filhos, preferem não os ter.

Nos filhos a vida se refaz...se ressignifica...se reveste de novo embelezamento.

Aquele choro, aquele olhar, aquele sorriso, aquele sono gostoso... tudo neles nos ensina a felicidade e a paz de espírito.

No exercício da maternidade/paternidade é quando mais nos assemelhamos a Deus, pois os pequenos nos inspiram amor e cuidado, renúncias e coragens  que não nos supúnhamos capazes.

Sua fragilidade nos revela a força que ocultávamos...

Seus desejos, necessidades, manias e birras, esculpem em nós a paciência que a vida, até então, falhou em conseguir.

Ah, meus doces e meigos filhos, visita oportuna de Deus...

Depois de atravessar um mar em tormenta onde sonhos sucumbiram, encontrei enfim a calmaria...

Foram noites de terror, dias infindáveis de uma existência angustiada...de questionamentos sobre o por que ser ao invés de não. 

Foi também num tempo assim, de mar revolto, de ondas tsunâmicas a nos desesperar, de ausência de respostas, que Ele veio ao nosso encontro...e o fez em forma de criança.

Como um grande pássaro descortinou os céus e sob suas asas nos trouxe a liberdade.

Permitiu-se aninhar nos braços da pecadora agraciada e pisou o chão que nos formou.

Tudo isso me vem à mente em devaneios, meditações e nostalgias, enquanto tomo no colo esse mistério  que me umedece os olhos.

Obrigado Deus, pelos filhos que me deste...

Por me visitares em cada um deles.



Marcelo de Paula / egm




Nenhum comentário:

Postar um comentário